Cadeia de Benfica vira motel; Ministério Público-RJ encontra suítes para visita íntima da Lava Jato

MP-RJ soube que mulheres estariam recebendo para fazer sexo com presos da Lava Jato

Promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro encontraram, durante uma fiscalização, seis quartos que seriam utilizados para visitas íntimas de presos de forma ilícita, entre outras possíveis irregularidades, na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio.

Na unidade estão presos da Operação Lava Jato no Rio e por ali já passou o ex-governador Sérgio Cabral. As irregularidades foram descobertas durante uma fiscalização no dia 19 de fevereiro. As informações foram publicadas no jornal “O Dia” e confirmadas pelo portal G1, nesta quarta-feira (7/3/18).

De acordo com a reportagem, o MP-RJ recebeu a informação de que mulheres estariam recebendo dinheiro para fazer sexo com presos da Lava Jato.

Nos quartos foram encontrados espelhos, luzes vermelhas, televisões, banheiros com espelhos, piso de porcelanato e até uma parede pintada com um coração.

O MP diz que vai abrir uma investigação para apurar se a denúncia é verdadeira e quem são os responsáveis pelos quartos encontrados.

Cadeia Pública está sob intervenção da Corregedoria:

De acordo com o secretário de Administração Penitenciária, David Anthony, a cadeia Pública José Frederico Marques foi colocada “sob intervenção da Corregedoria” após as denúncias do Ministério Público sobre o possível abuso no uso dos parlatórios.

De acordo com o secretário, os parlatórios são usados regularmente por 27 presos que têm autorização judicial para receber visitas íntimas. Contudo, há alguns dias a Seap foi avisada pelo MP sobre esses abusos e passou a colaborar com o MP na investigação.

Ainda segundo o secretário, há suspeita de que réus da Lava Jato estariam usando os parlatórios sem autorização.

Imagens das câmeras que dão acesso aos parlatórios estão sendo analisadas para saber se mulheres não cadastradas entraram na Cadeia Pública de Benfica.

Outras irregularidades na cadeia de Benfica:

No ano passado, uma outra ação operação do Ministério Público encontrou uma “sala de cinema” na cela do ex-governador Sérgio Cabral. A entrada dos aparelhos de última geração na unidade prisional levou à investigação do MP. Em uma sala, foram instalados uma televisão de 65 polegadas e um home theater, com aparelho de Blu-ray, com cerca de 160 filmes.

O ex-governador e outros presos encomendaram os equipamentos usando o nome de uma mulher. O nome de duas igrejas também foi usado para simular uma doação. No início de dezembro, Globonews revelou que o termo de doação dos equipamentos era falso e teria sido redigido de dentro da penitenciária.

EMPRESAS E PARCEIROS DO GRUPO KÉSSIO JHONIS DE COMUNICAÇÃO:

About Kessio Jhonis 1020 Articles
Este é um site pertencente ao Grupo Késsio Jhonis de Comunicação, onde trabalha com um lema de 'Seriedade e Credibilidade', K.J.Portal de Notícias

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*