EX-VEREADOR DE SFI MARCELO GARCÍA SE PREOCUPA COM A SAÚDE DA POPULAÇÃO DE SFI, onde há testes de COVID-19 com indícios de superfaturamento e ocultação de dados no município de SFI.

Os moradores da pacata cidade de São Francisco de Itabapoana, no Norte do estado do Rio de Janeiro estão tendo de lidar com dois inimigos durante a crise do covid-19. O primeiro, é óbvio, o inimigo oculto do vírus que causa estragos em todo o mundo, deixando milhares de mortos por onde passa. E o segundo é a falta de informações por parte do poder público, e até mesmo produção de informações duvidosas, para não dizer ‘fake news’, por quem deveria ter a obrigação de passar os dados oficiais neste momento.

No dia 8 de maio a Prefeitura de SFI empenhou R$ 300 mil para a compra de ‘teste rápido para covid-19’. A fornecedora dos testes é a Distribuidora de Medicamentos Brasil Miracema, que no dia 15 de junho, foi alvo da Operação Exam, que apura irregularidades no fornecimento de insumos e medicamentos durante a pandemia do COVID-19 em Cabo Frio. A Polícia Federal esteve na sede da empresa realizando busca e apreensão de documentos e a investigação segue sob sigilo.


Despacho que solicita busca e apreensão na Distribuidora de Medicamentos Brasil Miracema

Em SFI, alguns detalhes que cercam o contrato chamaram a atenção da nossa equipe. O primeiro é que a Prefeitura não disponibilizou a cópia do contrato celebrado com a empresa no Portal da Transparência, o que fere completamente o princípio da publicidade e a necessidade de transparência na Administração Pública.

A Prefeita Francimara Barbosa Lemos vem anunciando em lives que o município adquiriu três mil testes rápidos e recebeu a doação do governo federal de mais testes que estão sendo disponibilizados para a população. No entanto. entramos em contato com a Secretaria de Comunicação da Prefeitura de São Francisco de Itabapoana e fomos informados que diferente do que a Prefeitura vem anunciando, não foram 3 mil testes comprados, e sim, 1.500 testes rápidos, com cada um tendo um valor de R$ 200.

Para fins de comparação, o governo Witzel vem sendo investigado por comprar testes rápidos pelo valor de R$ 180. São Francisco de Itabapoana comprou por quase cinco vezes o valor que a fundação de Saúde do Ceará comprou, cerca de R$ 43. Além do conflito de informação, onde a prefeita diz um número e a secretaria de Comunicação diz a metade, os valores são discrepantes, e mesmo assim ainda são bem acima do aceitável.

A Fundação Oswaldo Cruz chegou a comprar o teste PCR, que são mais caros, por R$ 52 a unidade. Valor quase quatro vezes menor do que o foi praticado pela Prefeitura de SFI para testes rápidos.


Prefeita Francimara Barbosa Lemos afirma em live que o município adquiriu 3.000 testes rápidos

NOTA DA PREFEITURA CONTRADIZ A PREFEITA

“Em 8 de maio de 2020, formalizou a compra de 1.500 unidades, pelo valor unitário de R$ 200,00 (duzentos reais), e, desde então, tais kits estão sendo utilizados na testagem dos pacientes com sintomas sugestivos da Covid-19, bem como, na testagem dos profissionais de saúde e de segurança, ainda que assintomáticos”

Em uma mistura de indícios de superfaturamento, produção de ‘fakenews’, ocultação de dados e contratos, além de falta de investimentos, os moradores de SFI vão precisar de mais dias de jejum e oração para superar as irresponsabilidades da atual gestão.

Fonte: https://clickrio.com.br/

São Francisco de Itabapoana, Buena – RJ – vídeo com matéria escrita e postada por LÍVIA DOS SANTOS MINGUTA – LILI

EMPRESAS, PATROCINADORES, COLABORADORES E EMPRESÁRIOS QUE APOIAM O GRUPO K.J. DE COMUNICAÇÃO:

About Kessio Jhonis 838 Articles
Este é um site pertencente ao Grupo Késsio Jhonis de Comunicação, onde trabalha com um lema de 'Seriedade e Credibilidade', K.J.Portal de Notícias

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*